Banco de Itens

Gave : Banco de Itens mochila
0 itens na mochila.
1º Ciclo do Ensino Básico 2º Ciclo do Ensino Básico 3º Ciclo do Ensino Básico Ensino Secundário
X. Estudos com plantas herbáceas
Disciplina Biologia e Geologia (Secundário)
Autor Exames Biologia e Geologia Secundário (GAVE)

Crepis sancta é uma planta herbácea espontânea que cresce frequentemente nos canteiros dos passeios, ambiente urbano com populações fragmentadas, muito distinto do ambiente campestre com populações não fragmentadas, de onde esta espécie é originária.

 

Foi observado que, uma vez instaladas, as populações urbanas de Crepis sancta passam a reproduzir-se essencialmente por autofecundação, dado que existem poucos insectos no ambiente urbano.

 

Esta espécie produz dois tipos de sementes: umas pequenas e plumosas, que se disseminam pelo vento, e outras maiores e pesadas, que caem junto da planta-mãe.

 

Durante o processo de dispersão, todas as plantas perdem estruturas de propagação, que se disseminam para locais onde não originam descendentes (custo de dispersão).

 

No sentido de compreender melhor o modo como as populações de Crepis sancta se adaptam aos ambientes alterados pela urbanização crescente, foram efectuados estudos sobre os seus processos de reprodução (Estudo I) e de dispersão (Estudo II).

 

ESTUDO I

Foram cultivados em estufa, separadamente e em condições semelhantes, grupos de plantas urbanas e de plantas campestres.

Verificou-se que, nestas condições, nenhum dos grupos recorreu à autofecundação.

Concluiu-se, assim, não ter havido uma evolução do processo reprodutivo ao nível da fecundação porque a predominância de autofecundação não foi conservada de uma geração para outra.

 

ESTUDO II

Foi demonstrado que, nos canteiros urbanos, as sementes leves têm menos 55% de possibilidades de germinarem, uma vez que caem sobre um substrato (alcatrão, cimento) que não lhes permite a germinação.

Foram cultivados em estufa, separadamente e em condições semelhantes, grupos de plantas com origem nos dois tipos de populações (urbanas e campestres) que, no período de floração, foram polinizadas por um insecto, Bombus terrestris.

Verificou-se que as plantas dos canteiros urbanos produziram um número de sementes pesadas significativamente maior.

Estimou-se, usando um método adequado, que as alterações verificadas nas populações urbanas se instalaram num prazo curto, de 5 a 12 gerações de selecção.

Concluiu-se que, nas populações urbanas, o elevado custo de dispersão provocou uma adaptação no sentido da produção de um maior número de sementes pesadas, diminuindo a sua dispersão.

X.1

Classifique como verdadeira (V) ou falsa (F) cada uma das afirmações seguintes, relativas aos estudos efectuados com Crepis sancta.

 

(A) A quantificação das sementes de plantas urbanas e campestres foi feita em ambiente controlado.

(B) Em ambiente urbano, as sementes plumosas permitem maior sucesso reprodutivo.

(C) A produção de um maior número de sementes pesadas é resultado de um processo evolutivo.

(D) Em ambiente urbano, as sementes pesadas permitem maior taxa de germinação.

(E) A variabilidade genética dentro da população de cada canteiro aumenta em poucas gerações.

(F) A polinização cruzada é a estratégia reprodutiva predominante em ambiente urbano.

(G) Em ambiente campestre, o substrato permite a germinação dos dois tipos de sementes.

(H) A estratégia de sobrevivência em ambiente urbano resultou do elevado custo de dispersão.